segunda-feira, 25 de julho de 2011

Intolerância Alimentar - Alergia Alimentar

Há diferença entre "alergia alimentar" e "intolerância alimentar".

A alergia alimentar é quando uma pessoa demonstra uma reação alérgica a um determinado alimento. Intolerância alimentar não é uma alergia ao alimento e sim, um efeito indesejável causado pela ingestão de um alimento em particular.

Mas porque isso ocorre?

A partir do momento que conhecemos o significado psicológico de cada alimento, temos a chance de nos autoanalisarmos sob um novo ponto de vista. A terapia se torna benéfica pois através dela é que será possível trabalhar sentimentos que se encontram "mascarados", escondidos, mas que se manifestam de diferentes maneiras no corpo físico. E os florais vêm de encontro a equilibrar o sentimento que está camuflado e que pode desencadear uma alergia, uma intolerância alimentar ou até mesmo um vício por um determinado alimento/bebida.

Usufrua dos benefícios da Terapia Floral!

SIGNIFICADO PSICOLÓGICO DE ALGUNS ALIMENTOS:

1. Carne:
Simboliza a necessidade da pessoa em incorporar emoções (paixões, propensões e rejeições).

2. Peixes e crustáceos:
Ligados à fecundidade e forças plásticas (mobilidade).

3. Ovos:
É o renovamento periódico da natureza, tranqüilidade, estabilidade, segurança e descanso. Pode no homem representar ação e na mulher, reflexão.

4. Leite:
O primeiro alimento, ou seja, a mãe, o seio materno, a proteção e a fecundidade.

5. Queijo:
Carência psicológica de algo essencial e simples.

6. Pão:
Crescimento e transformação profunda, pureza e sacrifício. É indispensável psicologicamente, pois representa as energias da terra (grão, cereal e sal), o fogo (cozimento), a água (mistura) e o ar (fermentação).

7. Massa e Mistura:
A mistura é símbolo de matéria sem forma definida: união do elemento líquido (água, leite) com o elemento terra (farinha). Misturar representa criar, "penetrar" na matéria, remete-nos à contemplação da força germinativa poderosa e inicial. Liberta o ser humano das rígidas preocupações com a "forma". É um prato informal e lúdico, primitivo e genuíno. Portanto, uma sopinha miserável parecerá triste a um apreciador lúdico.

8. Arroz:
Símbolo de felicidade (ex: atiramos arroz aos recém-casados). Por isso, devemos consumi-lo lentamente.

9. Doces:
Representam festa, prazer, afetividade, prêmio, gratificação, recompensa infantil e regressiva, mas também consolo. Totalmente desnecessários numa dieta.

10. Mel:
Carência psicológica de doçura, talvez materna, que alivia a dor e o ferimento. É a individualidade de si mesmo.

11. Frutas:
Representam abundância, riqueza e fertilidade da terra, descendência e criatividade espiritual.

12. Verduras e hortaliças:
Unidade fundamental da vida e das suas constantes possibilidades germinativas.

13. Azeite:
Prosperidade e fraternidade. O amarelo pode ser a representação do Sol.

14. Sal:
Ambivalente. Conservação e corrosão dos alimentos. É a oposição e negação. Pode ser também mediação, estabilidade e equilíbrio, por isso é tão ambíguo.

15. Água:
Fonte de vida, alimento primário e essencial, de regeneração e purificação.

16. Vinho:
Simboliza para o homem o fogo que se espalha pelo peito. Queima, excita e inflama. Na mulher, representa a água, relaxa, faz esquecer, afunda. Pode ainda representar vida interior fecunda e positiva.

17. Café:
Bebida de "adultos". Desperta a atenção e confere certa dignidade, intelectualidade. Bom em pequenas doses.

18. Chá:
Representado por pensamentos ágeis, fluentes e leves. Liberta a fantasia e a imaginação viva e tranqüila. Bebida da sabedoria.

19. Carne suína:
Basta "ler" o animal: o suíno come qualquer matéria, sem critério quantitativo ou qualitativo. Alguns humanos buscam satisfazer todos os prazeres ao mesmo tempo, sem qualquer critério, o que os predispõem à uma arteriosclerose, ao alto colesterol e, principalmente, à não saciedade alimentar, ao desinteresse sexual e profissional.
Ainda sobre o suíno devemos observar que a concentração de gordura desse animal se assemelha às pessoas que desejam concentrar riquezas e atenção, porém não se permitem ingerir somente o necessário ao seu organismo, desequilibrando-se energeticamente por estarem consumindo além do necessário.

20. Carne bovina:
A vaca come raízes e alimenta os humanos. Assim, pessoas que precisam se doar e receber necessitam de alimentos lácteos. Todo sentido humano passa por suas preferências alimentares. Quando uma pessoa consome em demasia a carne vermelha está revelando a necessidade de fixar-se em suas atividades, assim como indica insegurança em buscar novos horizontes. São pessoas regradas, temerosas e impacientes para com os "diferentes".

21. Chocolate:
Quando se deseja muito, basta observar que assim como o chocolate, que tem o mesmo sabor do início ao fim, está protegido por um invólucro, que tem como componente especial o leite, doado pela mãe vaca que nada pede em troca. São pessoas que não estão carentes, mas insatisfeitas com seus atuais prazeres e buscam o prazer contínuo sem mudanças ou interrupções, principalmente não existindo a necessidade de retribuir.

22. Laranja:
Fruto uno de casca, suspenso e de fonte oxigenadora. Assim, quando uma pessoa busca ter fôlego para suportar pressão emocional, desejando estabilidade material e psicológica, agrada-se muitíssimo deste fruto íntegro, porém não tem paciência com semelhantes que oscilem muito em seu comportamento: um dia triste, outro "mais ou menos", ou muito feliz e amanhã "quem sabe?”

23. Massas:
Pessoas que agem sempre da mesma forma e atingem sempre os mesmos resultados não arriscam o novo mesmo que seja prazeroso, evitam a mudança enquanto não estiverem seguras que não terão de correr riscos ou que não serão questionadas. A massa tem formas distintas, porém sempre com o mesmo paladar, a despeito de estar recobertas com molhos ou roupagens diferentes: tudo será igual do início ao fim. Pessoas previsíveis, com atitudes indutíveis, têm muito prazer em comer massas.

Nenhum comentário: