sábado, 6 de março de 2010

Comprovação científica da atuação dos florais


Inúmeros trabalhos científicos foram realizados com as essências Florais de Bach. Ao longo de décadas no Brasil e no mundo, diversos cientistas defenderam teses de mestrado e doutorado, comprovando a eficácia das essências florais em diversas patologias mentais e físicas. Estas teses foram defendidas com êxito, comprovando definitivamente que os florais não são placebos. Algumas delas foram realizadas com animais e com plantas, exatamente para descartar o efeito placebo. Vamos citar algumas delas no texto abaixo, resumindo os pontos mais importantes.

1) Neste primeiro foi realizado um estudo com camundongos, comprovando a eficácia dos florais com ação psicotrópica:
Rev. bras. farmacogn. vol.16 no.3 João Pessoa July/Sept. 2006 doi: 10.1590/S0102-695X2006000300014.

ARTIGO
Avaliação dos efeitos centrais dos florais de Bach em camundongos através de modelos farmacológicos específicos
Márcia M. De-SouzaI,*; Milene GarbelotoI; Karin DenezII; Iriane Eger-MangrichI
INúcleo de Investigações Químico Farmacêuticas, Centro de Ciências da Saúde, Universidade do Vale do Itajaí, Rua Uruguai 458, Centro, 88202-302, Itajaí, SC, Brasil
IICurso de Naturologia Aplicada, Universidade do Sul de Santa Catarina, Campus Florianópolis, Av. Pedra Branca 25, 88132-000, Palhoça, SC, Brasil

RESUMO
Os Florais de Bach constituem um método alternativo de tratamento usado largamente na terapêutica de várias patologias em muitos países do mundo. São reconhecidos como tratamento natural pela OMS desde 1956. Embora o mecanismo de ação dos florais ainda não tenha sido elucidado, eles vêm sendo indicados para o tratamento de várias doenças neuropsiquiátricas. O objetivo do presente trabalho foi detectar possíveis efeitos centrais dos florais em modelos farmacológicos utilizados na pesquisa de substâncias com efeitos ansiolíticos, hipnóticos, antidepressivos e neurolépticos. Para tanto, camundongos receberam um tratamento agudo via oral (0,45 mL) 1 hora antes dos testes. Os resultados mostraram que os florais Gorse e, em conjunto, White chestnut, Agrymony e Vervain exibiram perfis antidepressivo e hipnótico, respectivamente. No modelo de ansiedade foi detectado efeito ansiolítico do floral Agrymony.
Os resultados nos levam a sugerir que os efeitos centrais dos florais avaliados podem ser parcialmente detectados através de modelos farmacológicos utilizados na pesquisa de agentes psicotrópicos.
Os resultados obtidos mostram que, o efeito terapêutico dos Florais ainda não foi esclarecido, mas é passível de comprovação científica.

2) Neste outro estudo foi pesquisada a ação dos florais sobre plantas, o que descarta totalmente o efeito placebo!

Dissertação de Mestrado Título original Essências florais: medidas da sua influência na vitalidade em seres vivos
Autor Ferreira, Marcia Zotti Justo E-mail marcia.zotti@uol.com.br Unidade Escola de Enfermagem (EE)
Área de concentração Enfermagem na Saúde do Adulto Orientador ¤ Turrini, Ruth Natalia Teresa
Banca Examinadora
Gallep, Cristiano de Mello
Graziano, Kazuko Uchikawa
Turrini, Ruth Natalia Teresa
Data da Defesa 29/03/2007

Resumo Original:
Trata-se de um estudo experimental aleatório: os tratamentos e suas repetições foram arranjados no delineamento experimental Inteiramente Casualizados. Foi realizado no Instituto Agronômico IAC de Campinas, no período de 17 a 23 de março (Fase 1) e de 1 a 7 de agosto (Fase 2) de 2006. Buscou, dentro da área da Biofísica, novos aparatos e tecnologias que pudessem avaliar o efeito das Essências Florais em seres vivos. Utilizaram-se sementes de feijoeiro que receberam três tipos de tratamentos (regas), sendo eles: Tratamento 1(água), Tratamento 2 (água com veículo alcoólico, - aqui utilizado conhaque) e Tratamento 3 (água com veículo alcoólico e Essência Floral - Walnut). Para o Teste de Tukey obteve-se significância estatística, sendo esse resultado indicativo que as Essências Florais, neste experimento estimularam maior brotamento das raízes (fasciculamento), sendo que esse fenômeno auxilia a plântula a superar os estresses hídricos e também estabelecer maior resistência ao ataque de patógenos radiculares.

3) Outros trabalhos foram conduzidos por diversos profissionais como médicos, psicólogos, enfermeiros, odontólogos e veterinários, defendendo teses de mestrado, doutorado, e todos comprovam a eficácia dos florais em diversas situações clínicas.
Foi realizado um curso de especialização em terapia floral conduzido através de um convênio entre a Faculdade de Ciências da Saúde do Instituto Brasileiro de Estudos Homeopáticos (IBEHE; São Paulo) e a Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), centenas de monografias, envolvendo o uso das essências florais em diversas áreas e com numerosas descrições de estudos de caso , foram publicadas, destacando-se dentre elas:

-As Essências Florais como Suporte Terapêutico – Gastrites em Eqüinos (Bárbara Goloubeff, médica veterinária, 2000)

-Terapia Floral no Tratamento da Gagueira (Maria Cristina Santos, fonoaudióloga, 2000)

-Rescue Remedy aplicado na terapêutica odontológica (Aino K. Rueger, cirurgia-dentista, 1997)

- Florais de Bach e seus efeitos em sistemas biológicos simples (Maria de Lourdes Wiendl, farmacêutica, 1997)

- Terapia Floral: um método holístico no tratamento das dores (Marlene V. Simões, médica, 1997)

- O Uso das Essências Florais no Ambiente Empresarial (Maria Magdalena T. Boog, psicóloga, 1997)

- A Atuação das Essências Florais no Tratamento do Estresse (Elisabete F.A. Aranha, terapeuta floral, 1997)

-O Uso da Arnica e Mimosa no Pré e Pós-Operatório na Blefaroplastia Estética (Maria Helena Santos, médica, 1997)

- A Terapia Floral no Orfanato (João Carlos Tyll, médico, 1997)

- As Essências Florais de Bach como um recurso auxiliar no Tratamento do Medo Odontológico (Wilma Arruda Marcondes, odontóloga, 1997)

4) Uma médica de Campinas realizou um trabalho científico defendido como tese de mestrado. Nele foi comprovada a eficácia das essências florais em crianças com asma brônquica.

Em março de 2003, a médica pediatra e professora do Departamento de Medicina Social e Preventiva da Pontifícia Universidade Católica de Campinas (PUC), Zilda Ribeiro, apresentou uma dissertação de mestrado com os resultados de uma pesquisa científica sobre a terapia floral, desenvolvida na Universidade Federal de Santa Catarina. A pesquisa foi sobre a contribuição da terapia floral na promoção de uma melhor qualidade de vida em pacientes com doenças crônicas. Esta dissertação de mestrado relatou o estudo de caso retrospectivo de abordagem qualitativa, baseado em registros de prontuários médicos. Os sujeitos da pesquisa foram crianças portadoras de asma brônquica, atendidas num programa que incorporou a terapia floral como prática complementar, durante um período de 3 anos. Os resultados demonstraram a ocorrência de mudanças significativas no sentido de uma melhor qualidade de vida em saúde, de acordo com parâmetros qualitativos situados nos domínios: físico, psicológico e grau de dependência de medicamentos (Zilda Ribeiro, Qualidade de Vida em Saúde: Estudo de Caso com Uso da Terapia Floral para Crianças Portadoras de Doenças Crônicas Atendidas numa Unidade Básica de Saúde, 2003).

2 comentários:

Cida Tavares disse...

Parabéns pelo seu trabalho. Sucesso!!!

EVELYN AGRICOLA disse...

É uma honra ler essa matéria, trabalho com a Terapia Floral desde 1998. Muito Boa, faz parte da Medicina Integrativa