segunda-feira, 22 de junho de 2009

Perguntas Frequentes sobre os florais

1) Qual a diferença entre os Florais de Bach e os outros florais?

Nenhuma. Os Florais de Bach foram os primeiros a serem descobertos. Outros pesquisadores vieram após Dr. Edward Bach e pesquisaram a flora de seus respectivos países. São pesquisadores igualmente respeitados, seus sistemas florais são largamente utilizados e dão ótimos resultados. Entre estes podemos citar Ian White (Australian Bush Flower Essences), Breno Marques (Florais de Minas), Richard Katz e Patricia Kaminski (Flower Essence Society - Califórnia, EUA), Steve M. Johnson (Flower Essence of Alaska), Florais de Saint Germain.


2) Porque os florais são feitos com as flores e não com outra parte da planta?

As essências florais fazem parte de um grupo mais amplo chamado essências vibracionais. As flores possuem características que lhes são próprias e que tornam suas essências especialmente poderosas. A flor é o momento da perpetuação da vida na planta, ou seja, a flor é o resultado do "desejo" da planta em continuar sua espécie, é o momento da concepção, é um momento de doação e de abertura para o mundo. A flor possui energias poderosíssimas que é fruto do preparo e da entrega da planta para o fenômeno maravilhoso que é a criação de uma nova vida. A flor é, portanto, um momento especialíssimo no qual existe uma enorme concentração de energia vital. Porém, a flor não é somente o momento de perpetuação da espécie, é também o momento de evolução da espécie. É um momento onde forças de transformação, evolução e aprendizado estão atuantes. Estas forças irão facilitar o processo de transformação do próprio ser humano. Concluindo: as flores são uma "explosão" de energia vital onde há forças evolutivas, de transformação e aprendizado fortemente atuantes.

3) Além de tomar uma fórmula individual, existe outra forma de usar as essências florais?

Sim. Em uso tópico, as essências florais são misturadas em cremes (como o creme de Bach, o Gel de Flores), em emplastos ou pingado diretamente sobre a pele. Em uso ambiental, para harmonizar o ambiente, pode-se usá-las em sprays, incenso ou aspersão. Pode-se também colocar as essências em travesseiros, roupas de cama, etc. Há a opção do uso coletivo no qual colocam-se as essências na água que será bebido por uma coletividade (família, departamento de uma empresa, etc).

4) Posso utilizar as essências florais enquanto estou tomando algum outro tipo de remédio ou enquanto estou fazendo outro tipo de tratamento?

Sim. As essências florais não têm influência negativa em nenhum tipo de tratamento, seja convencional, seja complementar. E também não são influenciadas negativamente por estes outros tratamentos.

O que há é a necessidade de integrar um tratamento com o outro para potencializar a cura. Por exemplo: uma pessoa que está sendo submetida à radioterapia deve tomar as essências florais uma maior quantidade de vezes. Este fato se relaciona com os efeitos da radiação sobre a aura da pessoa. Neste caso também é importante que na prescrição existam essências capazes de facilitar a recomposição deste campo.

5) Quais profissionais podem aplicar a terapia floral?

Como não existe nenhuma lei regulamentando o assunto, qualquer um pode ser terapeuta floral. Por isto é importante você procurar saber qual é o preparo e a formação da pessoa com quem você está se tratando. O diagnóstico da terapia floral é baseado principalmente em idéias, sentimentos, somatização e existem excelentes terapeutas florais que são formados em outras áreas que não a psicologia.

6) Qual a diferença entre Terapia Floral e Homeopatia?

O que há em comum é o fato de os dois tratamentos utilizarem essências vibracionais. A semelhança termina aí. As essências são produzidas com matéria prima diferente e também de maneira diferente. Por fim, vários estudos demonstram que elas atuam sobre o ser humano de forma diferente.

Observemos mais profundamente uma destas diferenças: a homeopatia tem como princípio básico que semelhante cura semelhante, ou seja, que se cura a doença ou a desarmonia com uma substância que (se usada em alguém sadio) produzirá o mesmo conjunto de sintomas presentes na pessoa doente ou em desarmonia. Já Edward Bach considerava que "é errôneo dizer que semelhante cura semelhante. Semelhante pode fortalecer semelhante, semelhante pode repelir semelhante, mas, no verdadeiro sentido da cura, semelhante não pode curar semelhante.". Para Bach a conseqüência de se usar o método homeopático é que "uma força adversa se vai, deixando vazio o espaço que ocupava. O método (de cura) perfeito consiste nem tanto em repelir a influência adversa, mas em transformá-la na sua virtude oposta e, através dessa virtude, expulsar a imperfeição". "A verdadeira cura só pode ser obtida pelo certo substituindo o errado, pelo bem substituindo o mal, pela luz substituindo a escuridão". As palavras de Bach demonstram o quanto a homeopatia e a terapia floral atuam de modo diferente. As duas possuem suas qualidades, mas são diferentes.

7) Qual a função do álcool nas essências florais? Existe alguma forma de substituí-lo?

Normalmente, dentro de cada frasco de floral existe 30% de Brandy (conhaque de uva). A função do álcool contida nesta bebida alcoólica é não permitir o desenvolvimento de microorganismos prejudiciais à saúde. Pode-se diminuir a quantidade de brandy, mas o tempo de validade também diminuirá. Geralmente diminuímos a quantidade ou até retiramos completamente o álcool quando estamos prescrevendo para bebês e pessoas que tem sensibilidade ao álcool (e também pessoas com gastrite ou úlcera). O frasco sem álcool deve ser guardado na geladeira.

Para os alcoólatras ou para aqueles que não querem tomar o álcool pode-se substituí-lo por vinagre de maçã ou framboesa. Estes são pouco utilizados principalmente pelo gosto ruim.

É importante você ter em mente que a quantidade de álcool ingerida diariamente quando fazemos a terapia floral é diminuta. Se você tomar quatro gotas, quatro vezes ao dia e seu frasco de preparado tiver 30% de Brandy você tomará aproximadamente duas gotas de álcool no final do dia.

8) Quais os tipos de doenças a Terapia Floral pode curar?

Todas e nenhuma. Este aparente paradoxo advém de dois fatores. A terapia floral deve ser encarada como um tratamento complementar ao tratamento médico e psicológico. Não deixe seu tratamento médico e/ou psicológico para realizar somente a terapia floral. Segundo: a terapia floral trata a causa verdadeira das doenças e dos problemas existenciais, que estão relacionados ao processo de evolução espiritual do ser humano. Sem aprender a lição contida na dor e no sofrimento não há cura completa. Assim, a terapia floral ajuda o ser humano a conquistar o bem-estar físico ao ajudá-lo a aprender as lições que vão tornar desnecessário o sofrimento e a dor.

9) A terapia floral é provada cientificamente?

Não. Existem vários estudos acadêmicos tratando do tema, porém, este é um processo que demora muitos anos a terapia floral foi descoberta na década de 30 do século passado. Por outro lado a terapia floral está sendo avaliada empiricamente a cada dia. Ou seja, as milhões de pessoas em todo mundo que estão tomando as essências florais e que estão sendo ajudadas por elas são o melhor aval que a terapia floral pode ter.

10) Quais são os efeitos colaterais que podem ocorrer quando se toma as essências florais?

A maioria dos praticantes da terapia floral argumenta que ela não possui efeitos colaterais. O bom senso e a experiência me mostram que tudo que tem ação tem contra-reação. Portanto as essências florais podem sim causar reações e efeitos inesperados.

Estes efeitos são bastante raros por dois motivos: a) se a pessoa não necessitar de uma determinada essência, a vibração desta essência não irá atuar sobre a pessoa. b) alguns sintomas que podem aparecer durante a terapia floral não são efeitos colaterais e sim parte do processo de cura. Ex: uma paciente procura melhorar o seu sono, no início do tratamento ela sente que está pior do sono pois está irritada e raivosa com todos. Neste exemplo (o caso é real) esta raiva estava presa no seu interior e para haver uma verdadeira melhora a paciente deveria se livrar destas emoções negativas e aprender a lidar com o mundo de forma menos rancorosa.

Os efeitos colaterais possíveis (mas muito raros) são:
1) reações físicas (diarréia, vômito, tontura, sono, taquicardia, sensação de estar "aéreo", intestino preso, etc).
2) reações emocionais (tristeza, ansiedade, impaciência, raiva, vontade de chorar ou rir à toa, alegria fora de hora, etc.).
3) reações mentais (idéias inadequadas, vontade de falar sem muita censura, etc.).

Caso o paciente sinta alguma reação que considere significativa, ele deve entrar em contato com o profissional que fez a prescrição das essências. Caso esteja fazendo auto-medicação, deve procurar um profissional qualificado para te orientar.

11) Quanto tempo demora para sentir os efeitos positivos do tratamento?

As essências florais começam a atuar imediatamente após serem tomadas. O tempo para a percepção dos efeitos benéficos das essências pode variar enormemente de um caso para o outro. Um mês é um tempo razoável para você começar a notar algumas mudanças (apesar de na imensa maioria das vezes poucos dias já são o suficiente).

Note que a reação ao tratamento é muito variável. Algumas pessoas apresentam "pioras" iniciais, outros não conseguem perceber sua mudança interior, outros ficam com medo da mudança e procuram maneiras de fugir deste medo, etc. Por isso a importância do acompanhamento do tratamento por um terapeuta floral.

12) Que cuidados devo tomar para conservar as essências florais sem estragá-las?

O melhor modo de conservá-lo é guardando-o em lugares secos, frescos e longe de aparelhos como computador, forno de microondas e televisão. Evite deixá-lo ao sol, perto do forno quente ou de qualquer coisa que vá esquentá-lo. Quando for tomar suas gotas diárias, procure evitar o contato do conta-gotas com qualquer parte do corpo, seja boca, braços ou mãos. Depois de tomar as gotinhas, fechar imediatamente o vidro.

13) Na utilização dos florais não há risco de o paciente considerar o floral como uma "poção mágica"?

Há sim. Qualquer coisa que exista na natureza pode ganhar o status de "mágico", inclusive os remédios alopáticos. O terapeuta deve estar muito atento, pois este fato prejudica a evolução pessoal do paciente. Neste caso, é necessário orientar o paciente e prescrever essências florais que irão ajudá-lo a desenvolver um vínculo mais maduro com o processo da terapia floral. Entre as possíveis causas deste fenômeno podemos citar uma profunda insegurança e falta de confiança em si por parte do paciente, uma atração pelo estranho, fantástico ou sobrenatural, ou uma insatisfação com sua vida cotidiana.

14) Pode-se misturar essências florais de sistemas diferentes (Ex: Florais de Bach com Florais de Minas) numa mesma receita?

Pode. Algumas pessoas dizem que alguns sistemas florais não podem ser misturados com outros. Isto, porém, é crendice e todos os sistemas florais podem ser misturados com os outros.

15) Quais florais devo usar para deixar de ficar estressada, para ficar calma e tranqüila?

Os florais não tratam diretamente a doença e sim a pessoa como um todo. Aliás, o lema da terapia floral é: não trate a doença e sim a pessoa. Portanto, para saber qual a essência recomendada para você superar o seu problema é preciso saber qual a lição de vida que você precisa aprender. Sabendo qual é esta lição podemos prescrever o floral que irá ajudá-la a realizar este aprendizado.

Para duas pessoas que tem a mesma doença é provável que os florais recomendados sejam diferentes, porque elas possuem personalidades e experiências de vida diferentes. Uma pessoa pode ficar estressada porque ela está constantemente com medo e com receio. Outra pessoa pode ficar estressada porque ela se desgasta com a necessidade interior de dominar e mandar em todos os que estão à sua volta. A lição não aprendida (medo num caso e a necessidade de dominação em outro) são as causas verdadeiras da infelicidade ou da doença e, por isto, são elas que devem ser tratadas.

16) Porque não se mistura todos os florais em um só vidro e faz uma fórmula que tenha uso para todos os problemas?

Esta solução só satisfaria aqueles cuja preguiça mental é um sério entrave para a tomada de consciência de seus defeitos e das lições que devem aprender para evoluir. Além do que, o excesso é sempre um desequilíbrio, o que deve ser evitado.

A verdadeira terapia floral tem dois momentos. O primeiro é quando o problema é diagnosticado e o paciente toma plena consciência dele. O segundo momento ocorre quando o paciente faz um esforço para superar este problema e toma as essências florais para ajudá-lo neste processo de transformação. Desta forma a terapia floral torna-se mais eficiente e o paciente mais consciente e mais sábio.

No que cabe ao terapeuta, após fazer um bom diagnóstico e ajudar o paciente a tomar consciência do problema, ele deve ser justo e fazer a prescrição apenas das essências que serão necessárias para a evolução do paciente naquele ponto a ser trabalhado. Quando se quer trabalhar tudo ao mesmo tempo, o mais comum é que não se trabalhe nada. A evolução é um caminhar contínuo que deve ser feita dando um passo de cada vez, mas um passo com solidez, com força e sabedoria.

17) Sendo os florais uma energia vibracional, se todos os fatores forem levados em conta, não seria mais interessante usar um sistema floral que fosse do lugar de onde você vive (país, cidade). Isto não seria mais interessante? Não se teria um efeito terapêutico mais rápido, mais duradouro e preciso?

A resposta é sim e não. Geralmente nós encontramos no ambiente que nos circunda as plantas que são necessárias para a cura. Porém, em todo mundo há uma imensa diversidade de plantas que podem e devem ser utilizadas por todas as pessoas. Imagine quantas plantas com poder de cura ainda serão descobertas na floresta Amazônica. É uma riqueza incalculável que devemos utilizar da melhor maneira. Assim também funciona com as essências florais, cada região do globo pode colaborar com ótimas essências que serão mais adequadas à um caso específico.

Porém, nós observamos que, aparentemente, essências produzidas a partir de plantas nativas de uma dada região leva certa vantagem quando utilizada por moradores desta mesma região. Isso não significa que devemos utilizar somente essências produzidas na região onde moramos e que estas são melhores e ponto final. Significa que devemos valorizar e pesquisar o potencial curativo das plantas de cada região. Quando vamos prescrever uma essência devemos escolher aquelas que são mais adequadas para a evolução do paciente, independentemente da origem. Somente utilizando as essências corretas é que se tem um efeito mais duradouro e preciso.

18) Por quanto tempo se deve usar os florais? Os resultados obtidos são permanentes ou dependem de continuar a usá-los?

Na terapia floral nós tratamos as causas reais das doenças e dos sofrimentos. Não tratamos a doença em si, mas as condições interiores que produziram a doença. Quando a pessoa supera estas causas reais a doença tende a acabar. Portanto, os florais devem ser utilizados dentro de um contexto de auto-transformação pessoal. O tempo de uso dos florais deve ser o tempo necessário para que haja esta transformação pessoal.

Quando há uma transformação que elimine a causa real do problema, o resultado (a superação da doença) tende a ser permanente. Existem limites, é claro. Determinadas doenças podem possuir um caráter de provação ou estar relacionadas à alimentação, poluição, etc. Por isto é importantíssimo um bom diagnóstico da doença, da situação de vida do paciente, da sua condição psíquica, etc. Um bom diagnóstico é metade do tratamento.

Nenhum comentário: