sexta-feira, 2 de maio de 2008

Rearmonizar emoções e cuidar da saúde como um todo. Esse é o princípio básico da Terapia Floral.



As essências florais são indicadas para rearmonizar as emoções humanas e, conseqüentemente, promover a saúde das pessoas, já que as doenças se originam, em grande parte, nas emoções mais profundas que estão em desequilíbrio e mal resolvidas dentro de nós.

Reconhecida pela OMS (Organização Mundial da Saúde), a Terapia Floral foi descoberta na primeira metade do Século XX, pelo médico inglês Edward Bach, que pesquisou e descobriu 38 essências florais inglesas. Seguindo seus passos, pesquisadores de diversas regiões do mundo continuam extraindo, de novas flores, as vibrações necessárias para inúmeros males do corpo e da alma.

Na primeira fase, o paciente passa por uma entrevista (anamnese) detalhada, e ao se identificar o problema são prescritas as essências florais apropriadas. Quem está sob tratamento relata uma condição maior de paz e de tomada de consciência, seguidas de profundas mudanças de comportamento e atitude, que levam a uma resolução de problemas e conflitos.

A Terapia Floral beneficia pessoas em todas as idades, nos seus problemas mais típicos:

* Bebês agitados, nervosos, medrosos, com cólicas, que choram muito;
* Crianças com problemas de aprendizado, concentração, de convivência na escola, com os pais ou irmãos, hiperativas, que fazem chantagem emocional, ciumentas;
* Adolescentes rebeldes, inseguros quanto aos relacionamentos e quanto a escolha de profissão;
* Adultos e Idosos que precisam de apoio em situações tanto circunstanciais (momentâneos), quanto estruturais (já cristalizados);
* Gestantes com enjôos e náuseas, durante o pré-natal, pós-parto, aceitação do corpo físico, conflito entre carreira e maternidade;
* Entre muitas outras.

Você sabe quando a Terapia Floral se faz necessária?

A Terapia Floral é indicada:

· em casos de emergência: após acidente, surto, aborto, estupro, antes de cirurgias, etc.

· em situações extremas: depressão profunda, tentativa de suicídio, compulsão por álcool ou drogas, síndrome de pânico.

· em fases de mudança: desmame, início de educação escolar, puberdade, adolescência, começo de carreira, casamento, gravidez, nova residência, novo emprego, divórcio, menopausa, aposentadoria, morte de pessoas queridas ou doença terminal.

· em situações de desequilíbrio: ansiedade, nervosismo, insônia, impaciência, depressão, medo, tristeza, raiva, ódio, ciúmes, culpa, desconfiança, agressividade, mágoa, ressentimento, preocupação, desânimo, cansaço, tensão pré-menstrual, problemas com a sexualidade, distúrbios do apetite, frustração, dificuldade de concentração e aprendizado, falta de esperança, confiança ou criatividade, solidão, rejeição, intolerância, crítica, vontade enfraquecida, indecisão, perda de controle, repetição de erros, amor possessivo, pessimismo, saudade do passado, stress, exaustão, melancolia, insatisfação com a vida (pessoal e profissional), rigidez, traumas antigos, abatimento, necessidade de domínio, memória fraca, resistência à mudança, orgulho, pensamentos recorrentes, apatia, amargura - só para citar as mais freqüentes.

A Terapia Floral não tem contra-indicações podendo ser ministrado com homeopatia e alopatia, e se aplica à pessoas de qualquer idade, incluindo gestantes.

Nenhum comentário: